Entendendo o mapa estratégico da empresa

Agora no mês de fevereiro publicaremos para o nosso leitor três artigos abordando a importante ferramenta para a gestão estratégica que é o Mapa Estratégico. O Mapa faz parte da metodologia do BSC, Balanced Scorecard, desenvolvida por Kaplan e Norton, já mencionada anteriormente e que auxilia na execução e no monitoramento da estratégia.

O primeiro artigo da trilogia, entendendo o mapa estratégico da empresa, apresenta e explica o que é o mapa estratégico e como ele pode auxiliar a organização a ter uma melhor visualização da estratégia. O segundo, desenhando o mapa estratégico da empresa, orienta como desenvolver o mapa a partir dos objetivos estratégicos definidos pela organização. O terceiro artigo, refinando o mapa estratégico da empresa, aborda algumas recomendações para você aprimorar o mapa elaborado tornando-o mais útil no processo e nas decisões estratégicas.

Vamos iniciar hoje a série de três artigos apresentando o mapa estratégico.

Uma das principais contribuições de Kaplan e Norton, criadores do Balanced Scorecard, BSC, já mencionado em artigos anteriores, para a gestão empresarial foi o chamado Mapa Estratégico.

O mapa estratégico é uma ferramenta que permite visualizar a estratégia a partir das diferentes perspectivas do BSC e dos objetivos de uma organização, representados nas perspectivas numa cadeia de causa-efeito que relaciona os resultados pretendidos com os respectivos impulsionadores.

Com ele é possível organizar os objetivos estratégicos da empresa numa sequencia que ilustra como se dá a agregação de valor no negócio.

O alinhamento dos objetivos estratégicos dentro das perspectivas é de extrema importância para o desenvolvimento de uma estratégia corporativa orientada a resultados.

O mapa estratégico, portanto, nada mais é do que a representação gráfica dos objetivos estratégicos da empresa a partir das perspectivas do balanced scorecard. Evidencia os desafios que a organização terá que superar para concretizar a missão e principalmente alcançar a almejada visão de futuro.

Como afirmam Kaplan e Norton no livro Strategy Maps “o mapa estratégico representa o elo perdido entre a formulação e a execução da estratégia” nos auxiliando a transformar um conjunto de intenções numa estratégia robusta e sobretudo eficaz.

Entre os principais objetivos do mapa estratégico pode-se mencionar:

  • Contar a evolução da estratégia;
  • comunicar de forma clara os objetivos estratégicos;
  • direcionar os indicadores chave de desempenho;
  • evidenciar claramente as relações de causa e efeito entre os objetivos.

O Mapa é organizado por meio de objetivos estratégicos distribuídos nas perspectivas do negócio, perspectivas do Balanced Scorecard, e posteriormente interligados por relações de causa e efeito evidenciando como se dá a agregação de valor no negócio. Trataremos da interligação dos objetivos de forma mais aprofundada no segundo artigo.

Um esboço de mapa estratégico pode ser observado na Figura 1. As perspectivas do BSC tradicionais, propostas por Kaplan e Norton são: financeira, de clientes e mercado, de processos internos e tecnologia e de aprendizado e crescimento.

Depois de desdobrar a visão de futuro, também chamada de visão estratégia nas quatro perspectivas a organização, no exemplo, identificou dez objetivos estratégicos que deverão ser perseguidos ao longo do ano. São eles: receitas e despesas equilibradas, custos reduzidos, rentabilidade assegurada, marca reconhecida, satisfação do cliente ampliada, sistema integrado de gestão implantado, processos mapeados, comunicação interna melhorada, gestores desenvolvidos e colaboradores desenvolvidos e comprometidos.

As perspectivas do BSC, representadas nas raias do mapa, procuram descrever como a organização cria valor para acionistas, por intermédio da fidelização do cliente, a partir da excelência nos processos internos e do alinhamento de conhecimentos.

A perspectiva Financeira descreve como a empresa contempla as expectativas dos acionistas em termos de desempenho econômico/financeiro.

A perspectiva de Clientes e Mercado procura evidenciar como a empresa espera criar valor para o cliente.

A perspectiva Processos Internos e Tecnologia foca os processos nos quais a empresa deve buscar a excelência  para satisfazer os clientes.

Finalmente a perspectiva Aprendizado e Crescimento evidencia como a empresa pode alinhar os seus ativos intagíveis como pessoas, clima e cultura organizacional na direção dos resultados. A cabeça de seta evidencia que o alcance dos objetivos das perspectiva aprendizado e crescimento são fundamentais para que os objetivos das demais perspectivas sejam alcançados.

No próximo DICAS DE GESTÃO vamos abordar como se constrói o mapa estratégico.

Até breve!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s