Utilizando o Mapa de Fluxo de Valor na melhoria da performance dos processos produtivos

No DG da semana passada abordamos os conceitos de valor, fluxo de valor e cadeia de valor.

Hoje vamos apresentar uma ferramenta extremamente útil, ainda que muito pouco utilizada nas empresas, que nos auxilia a identificar o fluxo de valor em um processo produtivo.

Chama-se Mapa de Fluxo de Valor.

Você já ouviu falar? Já utilizou?

É uma ferramenta importante em se tratando de identificar gargalos e melhorar o desempenho dos processos produtivos. É conhecido também como Value Stream Mapping, VSM ou, como mencionei, Mapa de Fluxo de Valor, MFV.

O MFV é uma metodologia que possibilita identificar e representar a produção de um ponto de vista macro. É capaz de evidenciar oportunidades de aprimoramento em cada etapa do processo produtivo. O mapeamento de fluxo de valor também é útil para identificar gargalos e atrasos nos processos. Dessa forma é possível compreender quais são as etapas que não agregam valor ao produto final e assim desenvolver uma linguagem comum do estado presente (diagnóstico da situação atual) e estado futuro do processo (onde pretende-se chegar).

A sua elaboração consiste em identificar e desenhar todas as etapas envolvidas nos fluxos de material e informação, necessárias para atender aos clientes desde o pedido à entrega.

A Figura 1 ilustra um modelo de mapa de fluxo de valor numa indústria mecânica.

Figura 1 – Exemplo de Mapa de Fluxo de Valor

Fonte: Site Citisystems em 10 de janeiro de 2018

O mapa de fluxo de valor utiliza alguns conceitos importantes, vejamos:

Lead time – tempo que decorre entre o recebimento de um pedido efetuado por um cliente até o momento em que o pedido é entregue.

V/A – Valor total agregado (em tempo) que o produto possui. É obtido somando-se as “regiões de vale” da linha do tempo. No exemplo da Figura 1 o V/A é de 35 horas.

Ο) – Operadores

OCT – Tempo de operação

C/O –  Tempo de setup para reconfigurar a linha

OEE – Overall Equipament Effectiveness (disponibilidade x produtividade x qualidade)

O Mapeamento do Fluxo de Valor é difere dos mapeamentos de processos feitos com o Bizagi ou Visio na medida em que os mapas de processos representam processos individuais e não fluxos de materiais e informações relacionadas a famílias de produtos. Além disso no mapeamento de processos eles são representados em termos das atividades que os compõe.

Já o Mapa do Fluxo de Valor é um diagrama de todas as etapas envolvidas nas movimentações de materiais e informações para atender aos clientes. Eles podem ser desenhados em diferentes fases e revelam oportunidades de melhoria.  Ou seja, mapear processos e desenhar o mapa de fluxo de valor são metodologias complementares para se compreender e aprimorar os processos produtivos.

Ficou claro?

Muito obrigado pela atenção!

Até o próximo DICAS DE GESTÃO!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s