Manutenção produtiva total: prevenindo falhas

A Manutenção Produtiva Total, Total Productive Maintenance, desenvolvida na década de 70 por Seiichi Nakajima é uma abordagem holística para manutenção de equipamentos que busca  alcançar a produção perfeita: sem avarias, sem pequenas paradas, sem defeitos e valorizando um um ambiente de trabalho seguro, ou seja, livre de acidentes.

O TPM enfatiza a manutenção proativa e preventiva para maximizar a eficiência operacional do equipamento. Essa abordagem integra as funções de produção e manutenção, colocando uma forte ênfase em capacitar os operadores para ajudar a manter seus equipamentos.

A implementação de um programa TPM cria uma responsabilidade compartilhada dos trabalhadores pelos equipamentos que incentiva um maior envolvimento dos empregados do chão de fábrica. No ambiente certo, isso pode ser muito eficaz para melhorar a produtividade (aumentando o tempo de atividade, reduzindo os tempos de ciclo e eliminando falhas).

Como benefícios proporcionados pela adoção do TPM pode-se mencionar:

– Aumento global da eficiência da planta industrial

– Aumento da produtividade

– Redução nas paradas repentinas

– Redução de refugo e retrabalho

– Melhora na satisfação do cliente

– Redução de custos

– Maior envolvimento e motivação dos colaboradores

– Ambiente de trabalho mais seguro e saudável

A Manutenção Produtiva Total se sustenta em oito pilares que são focados em técnicas proativas e preventivas para melhorar a confiabilidade do equipamento. Esses pilares podem ser observados na Figura 1.

  • Manutenção autônoma – proporciona autonomia aos operadores, que monitoram as condições de seus equipamentos e dos processos sob sua responsabilidade;
  • Manutenção preventiva – cada setor aplica as ações necessárias para a manutenção de equipamentos, ferramentas e máquinas, prevenindo uma interrupção das atividades;
  • Manutenção planejada – os responsáveis por cada processo realizam um monitoramento do desempenho da equipe e dos equipamentos, elaborando relatórios que indicam a necessidade de implementar melhorias contemplando paralizações no cronograma;
  • Manutenção da qualidade – a qualidade dos processos industriais depende de uma série de variáveis, e, nesse tópico, são consideradas as tecnologias mais adequadas, metodologias e novas ideias que possam contribuir para gerar agregação de valor em atividades e tarefas;
  • Desenvolvimento dos colaboradores – o capital humano é essencial em qualquer organização, e, para implementar a automação dos processos, é necessário que os colaboradores dominem as tecnologias, além de possibilitar atuação em cenários mais estratégicos,
  • Segurança e saúde no trabalho e no meio ambiente – em qualquer empresa e, em particular na indústria, a segurança dos colaboradores e do meio ambiente é fundamental. Para que todos os outros pilares da TPM se sustentem, a segurança de todos os envolvidos e do meio ambiente deve ser assegurada por meio das adoções das melhores práticas.
  • TPM na Administração: aplicação dos princípios da TPM na área administrativa e de escritório;
  • Gestão do desenvolvimento: esse pilar contempla: implantar novos equipamentos usando tempo mínimo, aprender com os sistemas existentes para desenvolver novos sistemas melhorados e iniciativas de melhoria de manutençãoCom a adoção da TPM é possível evitar perdas por quebra, setup, tempo ocioso, baixa velocidade, refugo, retrabalho e start-up.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s