Desenvolvendo estratégias para as partes interessadas

No DICAS DE GESTÃO da semana passada definiu-se partes interessadas, stakeholders, e abordou-se a identificação das partes interessadas na organização.

Na oportunidade prometemos que no próximo DG abordaríamos o desenvolvimento de estratégias para que a organização possa se relacionar de forma adequada com cada uma das partes interessadas com o auxílio da matriz de estratégias para as partes interessadas também chamada de matriz poder-interesse.

Para definir as estratégias para cada uma das partes interessadas e posteriormente poder desenhar a Matriz é fundamental avaliar o poder da parte interessada e o interesse da organização em cada uma das partes identificadas.

Esta ferramenta mapeia, portanto, a relação entre poder e interesse das/nas partes interessadas ao longo de um período. A análise pode ser qualitativa ou, se quisermos um pouco mais de precisão, quantitativa.

Numa abordagem mais simples pode-se classificar o poder de cada parte interessada de forma dicotômica em ALTO ou BAIXO. A mesma análise será realizada em relação ao interesse que a organização tem em cada uma das partes interessadas em particular. Aqui também ALTO ou BAIXO.

A partir dessa análise emergem quatro alternativas estratégicas possíveis: gerenciar de perto, manter satisfeita, manter informada ou monitorar como pode ser observado na Figura 1.

Caso o PODER da parte interessada e o INTERESSE da organização na parte sejam altos a estratégia deverá ser “gerenciar de perto”.

Caso o PODER da parte seja alto e o INTERESSE da organização na parte interessada seja baixo a estratégia adotada deverá ser “manter satisfeita”.

Caso o PODER da parte seja baixo, mas o INTERESSE da organização na parte seja alto a estratégia deverá ser “manter informada”.

Finalmente caso o PODER da parte interessada e o INTERESSE da organização na parte sejam ambos baixos a estratégia deverá ser “monitorar” a parte interessada.

Caberá em seguida elaborar planos de ação para detalhar as estratégias de gerenciar de perto, manter satisfeita, manter informada e monitorar cada uma das partes interessadas.

Diferentes partes interessadas podem demandar diferentes planos de ação.

Lembre-se a estratégia é o que fazer e o plano de ação o como fazer.

Simples!

Esta análise pode ser refinada se ao invés de apenas classificarmos o poder e o interesse em termos de alto-baixo utilizarmos uma escala, por exemplo de 5 pontos, para avaliar o grau de poder/interesse da/na parte.

De qualquer forma não se eliminará totalmente a subjetividade da análise na medida em que a classificação em uma escala de 5 pontos também envolverá a percepção/subjetividade dos avaliadores ao atribuir grau 1, 2, 3, … ao poder do stakeholder e ao interesse da organização nesse stakeholder em particular.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s