Identificando e desenvolvendo oportunidades em um mundo VUCA

Participei recentemente de um Encontro para discutir Educação Executiva e uma das premissas colocadas para a nossa discussão foi a do “Mundo VUCA”.

Você já ouviu falar do Mundo VUCA?

VUCA é um acrônimo que ilustra quatro características importantes do momento que a humanidade vive: volatility, uncertainty, complexity e ambiguity, traduzindo volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade, VICA.

Apesar da expressão ter sido incorporada há poucos anos ao vocabulário corporativo, ela emergiu na década de 90 no ambiente militar. O U.S. Army War College mencionou esse termo para caracterizar o mundo no contexto pós-Guerra Fria. No entanto, ele também se aplica ao ambiente de negócios atual o que indica novos e crescentes desafios tanto para os profissionais quanto para as organizações.

Um dos principais impactos para as empresas é a dificuldade de ter previsibilidade no planejamento. A implicação é que mais importante do que modelar cenários de longo prazo é ter agilidade na compreensão das mudanças e capacidade de resposta às demandas do ambiente.

A Figura 1 ilustra as dimensões do Mundo VUCA/VICA numa matriz de 4 (quatro) quadrantes em que eixo X representa o seu nível de conhecimento sobre a situação atual, maior ou menor e o eixo Y quão bem você consegue prever/antecipar os impactos das suas ações, melhor o pior.

O quadrante Volatilidade se refere a velocidade das mudanças. O volume das mudanças e a rapidez com que elas ocorrem tornam especialmente difícil analisar cenários como era feito até bem pouco tempo. Estar preparado para lidar com o imprevisto é tão importante quanto elaborar planos detalhados. Ter clareza do propósito e dos resultados esperados como direcionadores das estratégias é uma forma eficaz de lidar com as transformações mitigando os riscos para o alcance dos objetivos.

O quadrante Incerteza contempla a falta de clareza sobre o presente. Apesar da disponibilidade de informações em diversas fontes, elas nem sempre são úteis para compreender o futuro de forma clara e isenta. Transformações disruptivas emergem de novos paradigmas. As melhores alternativas de hoje quase nunca serão aplicáveis aos problemas no futuro. Mesmo que consigamos compreender as relações de causa e efeito de uma mudança, suas consequências nem sempre são previsíveis.

A Complexidade se refere a necessidade de estudar e se possível antecipar o comportamento de um grande número de variáveis econômicas, políticas, socioculturais, demográficas, tecnológicas entre outras, diversas variáveis que variam, me perdoem a redundância, são imprevisíveis e externas a empresa. A conectividade e a interdependência são fatores que tornam o desafio mais complexo. Os modelos tradicionais de gestão de riscos e tomada de decisão não são refinados o suficiente para lidar com o número de variáveis destes contextos interconectados. De acordo com o que aprendemos com a teoria do caos, não é possível prever os resultados de ações isoladas, pois as mesmas fazem parte de um sistema complexo. A idéia central da teoria do caos é a de que uma pequena mudança no início de um evento qualquer que seja ele pode trazer consequências enormes e absolutamente desconhecidas no futuro.

Finalmente, o quadrante Ambiguidade, representa a falta de clareza sobre o significado dos eventos. Existem diversas maneiras de perceber e interpretar os contextos complexos. A ambiguidade é essa falta de clareza. Os impactos de uma transformação disruptiva não podem ser analisados com base no histórico e em experiências passadas, pois é um novo cenário. Isso dá margem a múltiplas interpretações muitas das quais pertinentes e as vezes contraditórias.

Todas estas dimensões devem ser levadas em conta no momento em que temos que identificar e desenvolver oportunidades. A identificação de oportunidades é uma das etapas do processo de planejamento estratégico.

Por ocasião da análise ambiental e construção da matriz SWOT é importante analisar o ambiente externo e as tendências para que seja possível identificar oportunidades.

Mas lembre-se; ainda que a identificação de oportunidades seja uma atividade/etapa importante o que assegura o retorno para a organização não é a identificação da oportunidade. É o seu desenvolvimento.

Uma oportunidade pode ser definida como uma importante área ação mercadológica em que determinada empresa desfruta de vantagem diferencial. Na identificação de uma oportunidade algumas considerações devem ser levadas em conta:

  • toda oportunidade ambiental tem requisitos para o seu desenvolvimento e êxito;
  • toda empresa tem coisas que pode fazer especialmente bem;
  • uma empresa terá mais chances de se aproveitar de uma vantagem diferencial com relação a uma oportunidade ambiental se suas características, competências essenciais, satisfizerem aos requisitos da oportunidade de forma mais eficaz que seus concorrentes.

A oportunidade pode ser configurada por meio da identificação e avaliação pela empresa de possibilidades para melhorar a sua posição competitiva mediante a utilização dos seus recursos e potencialidades. A delimitação e o desenvolvimento da oportunidade passam por seis principais etapas: análise das características do ambiente/mercado, definição do mercado-alvo, target, configuração da oportunidade, desenvolvimento do modelo de negócio, desenvolvimento do plano de negócios e apresentação da oferta considerando a volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade do mundo e do ambiente VICA.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s