Produção Ágil (Ágile Production): mudando em ambientes de incerteza

A metodologia Ágile surgiu nos anos 90, no setor de desenvolvimento de softwares.

A ideia central era disponibilizar uma alternativa as metodologias até então existentes que recebiam críticas, sobretudo, por serem muito engessadas e, portanto, inadequadas para desenvolver produtos num segmento que exigia constantes mudanças.

Já o conceito original de manufatura ágil foi disseminado por um grupo de pesquisadores do Iaccoca Institute of Lehigh University (Iaccoca Institute, 1991) nos EUA, como sendo um novo paradigma para a competitividade global, em face da contração de mercados convencionais e do decorrente surgimento de novas barreiras.

A produção ágil ou manufatura ágil (ou agile manufactuing em inglês) é um conceito relativamente novo aplicado a manufatura para atender a um mercado consumidor cada vez mais informado e exigente.

Kent Beck e Martin Fowler, desenvolveram essa linha metodológica como uma alternativa mais eficiente de agregar valor para os clientes, minimizando a necessidade de períodos prolongados de planejamento e desenvolvimento.

De acordo com Kidd, a manufatura ágil pode ser considerada como a integração de organização, colaboradores altamente capacitados e tecnologias avançadas para conquistar colaboração e inovação como resposta à necessidade de fornecimento de produtos customizados e de elevada qualidade aos consumidores.

A manufatura ágil apresenta sete características fundamentais que são: produtos de alta qualidade e customização; produtos e serviços com alto valor agregado; mobilização das competências-chave; compromisso com pautas ambientais e sociais; integração de diversas tecnologias; resposta a mudanças e incertezas; e integração dentro da empresa e entre empresas.

A manufatura ágil utiliza como princípio a automação que emprega processos automáticos comandando e controlando os mecanismos para seu próprio funcionamento como modelo principal de produção. A quantidade de colaboradores é reduzida para economizar nos custos de mão de obra e os trabalhadores que permanecem na linha de produção atuam para ajustar ou reparar as máquinas robóticas. Como resultado a linha de fabricação é eficiente e de baixo custo de operação.

A manufatura ágil é adequada, sobretudo, em ambientes de mudanças rápidas e com elevada incerteza.

O projeto da manufatura ágil deve ser elaborado, portanto, tendo‐se em mente cinco vetores segundo Kidd: 1) mudança contínua; 2) resposta rápida; 3) melhoria da qualidade; 4) responsabilidade social; 5) foco total no cliente.

Esses vetores/princípios básicos estão representados na Figura 1.

A premissa fundamental da manufatura ágil é que o mercado muda constantemente e a indústria ágil tem facilidade em se adaptar as mudanças.

No próximo DICAS DE GESTÃO voltaremos ao tema desenvolvendo uma analogia entre a produção ágil e a produção enxuta.

Até lá!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s