Sistemas integrados de gestão: desenvolvendo operações mais eficientes.

Os sistemas integrados de gestão, também chamados de ERP ou enterprise resource planning, foram desenvolvidos como uma solução no final dos anos 90 representando uma evolução do MRP e MRP II.

Um ERP é um software de planejamento dos recursos empresariais que integra as diferentes funções da empresa para possibilitar operações mais eficientes. Podem ser entendidos como uma evolução do MRP II, conforme ilustrado na Figura 1, por controlarem tanto os recursos diretamente utilizados na fabricação quanto os demais recursos da organização.

Sua adoção emergiu de uma necessidade de integrar um conjunto de informações que se encontravam dispersas na empresa, em um grande número de outros sistemas, o que tornava difícil o acesso a essas informações sem contar os problemas decorrentes de dados divergentes entre os vários sistemas disponíveis.

Numa ocasião eu participava de reunião de análise crítica de desempenho numa empresa de engenharia e presenciei três gerentes utilizando no denominador dos seus respectivos indicadores de desempenho diferentes quantitativos de empregados na empresa.

No início da sua utilização, por terem um custo elevado, ficaram restritos às grandes empresas, mas, nos últimos anos, uma saturação do mercado de grandes corporações forçou os fornecedores de ERPs a buscar negócios junto ao segmento de médias e até pequenas empresas.

O sistema integrado de gestão (ERP) pode ser conceituado como um sistema que possibilita integrar as informações das diversas unidades de uma empresa utilizando o conceito de base de dados única, permitindo a melhoria contínua dos processos e atendendo a necessidades de informações confiáveis e em tempo real.

ERP é um sistema de informações que possibilita gerenciar a ampla gama de dados numa empresa. Os ERPs usualmente possuem um conjunto de programas que permitem interligar os diversos aspectos da manufatura de maneira a incorporar os procedimentos contábeis e informações geradas por outros aplicativos. Dessa forma permitem combinar avançadas tecnologias de informação com as melhores práticas de gestão de negócios.

Um ERP é, portanto, um software usado para o planejamento dos recursos empresariais por alinhar as funções empresariais de forma a possibilitar operações mais eficientes. Representam uma integração de informações contábeis, financeiras, de produção, comerciais e compras entre outras. Por possuírem arquitetura aberta, permitem a sua integração com diversos sistemas operacionais, bancos de dados e plataformas de hardware. É justamente essa possibilidade de integração o principal fator para sua adoção por parte das empresas.

A Figura 2 apresenta a estrutura de um ERP e seus respectivos módulos que possibilitam a integração de diversas informações da empresa.

No ERP, a base de dados central recebe informações oriundas da direção e das áreas: comercial, de serviços, de pessoas, da fábrica, finanças e controladoria e materiais. Essas informações, depois de integradas, ficam à disposição dos tomadores de decisão.

O impacto do ERP numa empresa tem aspectos tangíveis e intangíveis. A maioria das pesquisas que abordam a implementação do ERP tem focado os aspectos tangíveis, na medida em que os intangíveis são mais difíceis de serem quantificados.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s