Gerenciamento do desempenho empresarial: importância e benefícios

Em virtude da palestra que vou realizar para Cotonicultores (produtores de algodão), em Chapadão do Sul no Mato Grosso do Sul e considerando a relevância do tema, resolvi esta semana escrever sobre Gestão do Desempenho Empresarial.

Independente do porte da empresa atue no agronegócio, comércio, indústria ou serviços, realizar o Gerenciamento do Desempenho Empresarial de forma efetiva é uma atividade que não deve ser negligenciada. Promover a melhoria contínua do desempenho e dos resultados sejam eles financeiros, relativos às pessoas, relativos aos clientes, fornecedores ou a operação, por meio da adoção das melhores práticas de gestão do desempenho, tem sido uma das principais preocupações das organizações.

Mais do que rotinas, processos padronizados e dados disponíveis em sistemas de informações, o desafio está em disseminar na cultura organizacional o hábito de analisar os dados coletados do negócio, transformando informações em inteligência competitiva.

Foi por causa dessa preocupação que surgiram, nos últimos anos, diversas metodologias para orientar a gestão do desempenho, que culminaram num campo de estudos focado em desenvolver alternativas para obter, organizar, sistematizar e disponibilizar para os gestores informações sobre o desempenho entre elas o EPM (também conhecido por BPM ou CPM).

Mas afinal, o que é BPM, CPM ou EPM? O que diferencia Business Performance Management, Corporate Performance Management e Enterprise Performance Management?

No ambiente corporativo é muito comum encontrarmos siglas para tudo. E no gerenciamento do desempenho empresarial não é diferente, sendo que os termos BPM, CPM ou ainda EPM são amplamente difundidos para designar os modelos utilizados para o planejamento e monitoramento dos resultados do negócio.

Mas o que realmente significam e qual sua utilidade?

Essas siglas vem do inglês Corporate Performance Management, Business Performance Management e Enterprise Performance Management e fundamentalmente significam a mesma coisa: Gerenciamento do Desempenho Empresarial, GDE de agora em diante.

É uma disciplina que busca simplificar a busca pela excelência no gerenciamento do desempenho por meio de atividades que asseguram que os objetivos planejados para o negócio sejam alcançados de forma eficaz e eficiente e os riscos mitigados.

Os conceitos podem ser observados na Figura 1.

dg21

Ao pesquisar sobre o tema na bibliografia é preciso ter atenção para não confundir o termo BPM utilizado tanto como acrônimo de Business Performance Management (abordado neste artigo) como também para mencionar Business Process Management, metodologia aplicada no mapeamento e redesenho de processos, que será tratado oportunamente em um próximo Dicas de Gestão.

Mas afinal o que compõe uma plataforma de Gerenciamento do Desempenho Empresarial?

Uma plataforma de GDE não é apenas um software ou uma única ferramenta. É o conceito geral que engloba toda a gestão do desempenho. Dentre outros aspectos, uma solução de GDE contempla: conceitos; processos; metodologias; ferramentas; sistemas e indicadores que são utilizados para: planejar; medir; comparar; analisar; prever; e reportar as informações da empresa possibilitando gerenciar o desempenho de forma integrada. Ou seja, realizar a gestão do desempenho não é simplesmente implantar um BI. Não é uma ferramenta da área de planejamento e controladoria. Não é apenas uma tecnologia ou um software de gestão orçamentária.

Cada um destes componentes é fundamental, tendo cada um deles funções específicas que podem assegurar geração de valor para a empresa. Porém, uma plataforma para a gestão do desempenho é muito mais do que qualquer um destes componentes individualmente, é um verdadeiro exemplo de sinergia entre todos eles, que faz com que os resultados gerados com a adoção sejam ainda mais significativos e alinhados com a estratégia definida pela empresa.

A Figura 2 ilustra o alinhamento da estratégia com os resultados por meio do GDE.

dg21-2

A partir das declarações corporativas desdobramos a visão em objetivos. Para cada objetivo temos um ou mais indicadores com as suas respectivas metas.

Uma pergunta que surge invariavelmente: mas porque devo implantar o GDE em minha  empresa?

Entre os principais benefícios podemos mencionar:

  • Melhor alinhamento da estratégia

 A análise de informações proporcionada pelo GDE possibilita à empresa uma perspectiva mais abrangente acerca de seus objetivos e metas estratégicos, podendo transmitir, a todos os colaboradores, diretrizes coerentes e de fácil compreensão.

  • Processo orçamentário mais efetivo

As informações proporcionadas pelo GDE proporcionam informações seguras que facilitam a elaboração do orçamento.

  • Mitigação dos riscos inerentes ao negócio

Riscos não devidamente gerenciados, sobretudo os financeiros, tem grande impacto no negócio, podendo chegar a inviabilizar a empresa. Neste sentido, a Gestão do Desempenho Empresarial auxilia na identificação de riscos em potencial e na eliminação destes, resguardando o patrimônio da empresa com base na análise de dados de desempenho.

  • Possibilidade de avaliação de desempenho

O GDE também é capaz de refletir o desempenho organizacional de maneira que você possa encontrar gaps de competência e equacioná-los por meio de treinamentos, aquisição de tecnologias, ajustes de processos, entre outras ações.

  • Melhoria no processo de tomada de decisão

Estando integrado a outras ferramentas de gestão como um software de gestão orçamentária, CRM, ERP, BI, datawarehouse, entre outras, a Gestão do Desempenho Empresarial possibilita uma visão compartilhada sobre o negócio, agregando informações relevantes e atualizadas para a tomada de decisão.

  • Planejamento mais refinado

Para poder acompanhar o desempenho, o primeiro passo é planejar as estratégias que levarão aos resultados que se quer atingir. Com a adoção do GDE são estabelecidas metas claras e desafiadoras para cada unidade da empresa.

  • Monitoramento contínuo do desempenho

Com metas bem definidas, a empresa tem um mapa para realizar a avaliação sistemática de desempenho dos negócios em Reuniões de Análise do Desempenho, RADs. Isso permite aos gestores focarem seus esforços para identificar fatores que estejam dificultando o alcance dos resultados em cada um dos indicadores de desempenho acompanhados.

  • Melhoria contínua dos processos

Identificando os processos ou as atividades que não agregam valor ao negócio é possível tratar as rupturas, melhorando o resultado da empresa como um todo.

  • Maior comprometimento das equipes

Com planejamento, acompanhamento e revisão contínua das estratégias, planos de ação e processos da empresa, os gestores e equipes passam a desenvolver uma postura empreendedora, voltada para o atendimento ao cliente interno, gerando assim uma maior integração entre as áreas.

E aí consegui convencer você da importância de implantar mecanismos para gerenciar o desempenho na sua empresa?

Convido você a ler os demais artigos relacionados no DICAS DE GESTÃO, que abordam resultados, indicadores e estabelecimento de metas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s